fbpx
Skip to main content
Transplante de Barba
transplante barba

A barba é um atributo estético que marca indelevelmente a identidade do homem. Sua história e cultura remontam civilizações antigas, chegando incólume ao homem contemporâneo. As opiniões sobre sua aparência sempre estiveram divididas em diferentes cantos da Terra, muito em função de hábitos, crenças e aspectos culturais na formação individual da personalidade.

Algumas civilizações enxergavam nos seus homens barbudos sinais inequívocos de sabedoria, status social e poder sexual. Em contrapartida, outros povos viam nos barbados sinais de desleixo, falta de higiene pessoal, excentricidade, ausência de refinamento e carência de educação de berço.

Em determinadas religiões a cultura da barba é, até hoje, sinal de respeitabilidade e tida como importante na preservação da crença, devoção e propagação da fé.

Muito embora a procura pela depilação a laser para os fios indesejados da barba tenha crescido nos últimos anos entre os aficcionados pela fisionomia imberbe, não há termos de comparação com o contrário. O homem do século XXI quer ter barba ou corrigir suas falhas. E esse é um fenômeno cultural mundo afora que enxerga no visual “barba por fazer”, representado por quatro a cinco dias sem barbear-se, o padrão contemporâneo de beleza masculina, adotada por celebridades do cinema, esporte e “showbiz” internacional.

O modismo não é e nunca será indicação de qualquer cirurgia, mesmo as de cunho iminentemente estético. Porém, o desejo de ter barba ou de corrigir suas falhas é legítimo e, dada a extraordinária evolução técnica da restauração capilar nos mais diversos segmentos corporais, passou a ser um procedimento cirúrgico em ascensão na especialidade. Em recentes estudos da Universidade de Southern Queensland, na Austrália, 55% dos homens do planeta usam barba, bigode ou ambos e estas áreas cobertas ficam um terço menos expostas à radiação solar.
A indicação do transplante de barba passa pela criteriosa avaliação da etiologia e do diagnóstico diferencial. Na atribulação do cotidiano vivido pelo homem moderno é comum a perda de fios da barba motivada por estresse extremo.

Doenças mais comuns como as dermatites seborreicas da face, foliculites de variadas causas, alopecia areata e tinha da barba cursam com perda de pelos, circunscritos ou difusos, causando falhas inestéticas na face do homem1-3.

Disfunções hormonais, falhas na dieta ou ainda dietas mal planejadas, muito comuns na atualidade, além do uso de anabolizantes e outras drogas de efeitos similares, podem, igualmente, levar à perda dos fios da barba, causando falhas e raleamento.

O diagnóstico correto, portanto, baliza o sucesso do tratamento. Os problemas genéticos são efetivamente a grande indicação para a restauração cirúrgica da barba. As cicatrizes da face, se de boa qualidade e localização, podem ser camufladas com transplante de unidades foliculares (UFs), mimetizando os transtornos estéticos e sociais causados por elas.

A idade, na casuística do autor, varia entre 23 e 64 anos. Os pacientes imberbes representam 60%. 30% queixam-se de barba falhada e 10% procuram a cirurgia para camuflagem de cicatrizes, sendo a maioria para lábio leporino.

O planejamento é fundamental para o sucesso do ato cirúrgico. O mapeamento da barba nos diferentes seguimentos da face, sempre incluindo o bigode e cavanhaque, mostra que a direção do crescimento dos fios é individual (Figura 1). Existe, porém, um padrão que se repete numa significativa amostragem (Figura 2), o que facilita enormemente o planejamento e desenho da nova barba junto ao paciente imberbe durante a consulta (Figura 3).

v32n3a02-fig01

Figura 1. Mapa individual da direção do crescimento dos fios da barba.

v32n3a02-fig02 (1)

Figura 2. Padrão mais comum da direção dos fios da barba.

v32n3a02-fig03

Figura 3. Ensaio da nova barba durante a consulta em paciente imberbe.

Na maioria das vezes os pacientes optam pelo padrão tradicional, mais comportado, cujo traçado inferior, mais angulado, ultrapassa ligeiramente a linha da mandíbula, mantendo uma largura máxima de 6 cm até a região geniana, deixando tanto esse segmento quanto o pescoço ausentes de pelos. O traçado superior em curva ligeiramente quebrada termina na mesma altura da comissura labial, unindo aqui a lateral do bigode ao cavanhaque.

Frequentemente, é solicitado um preenchimento triangular central de base superior unindo o lábio inferior ao cavanhaque (Figura 4). Alguns fios esparsos, soltos na região geniana acima da linha de marcação conferem naturalidade e podem ser raspados se necessário. Naqueles com barba falhada, faz-se mister acompanhar a desenho e a direção dos fios remanescentes, facilitando o entendimento pré-operatório (Figura 5).

v32n3a02-fig04

Figura 4. Ensaio de desenho de nova barba em paciente imberbe

v32n3a02-fig05

DISCUSSÃO

A mudança que o transplante de barba promove no paciente imberbe deve ser exaustivamente discutida com ele. Muito embora ao barbear-se o paciente retorne à sua aparência física de antes, a barba passa a fazer parte de sua nova vida, podendo influenciar indelevelmente em sua personalidade. Pacientes muito jovens devem ser observados com cautela por parte do cirurgião e mais de uma entrevista se faz necessária para a correta decisão pela cirurgia, se possível compartilhada com pais e responsáveis.

Os pacientes com tendência familiar à calvície devem ser alertados sobre a necessidade de área doadora para tratá-la. A cirurgia da barba, que utiliza a mesma região doadora, certamente diminuirá a chance de mais etapas cirúrgicas para um ou outro problema. A decisão sobre essa ou aquela cirurgia ou até mesmo ambas deve ser exclusivamente do paciente.

Os benefícios psicológicos refletidos no aumento da autoestima, na reafirmação da masculinidade, na segurança nos relacionamentos interpessoais e, sobretudo, na satisfação da nova aparência, encorajam os cirurgiões plásticos especialistas em restauração capilar a evoluírem na técnica do transplante de barba, que cresce exponencialmente em todo o mundo.

CONCLUSÃO

O transplante de barba é hoje uma realidade e se apresenta como grande opção para todos aqueles que desejam ter um dos mais marcantes atributos estéticos do homem desde sempre. Os pacientes geneticamente imberbes ou que têm suas barbas falhadas, ou, ainda, querem camuflar cicatrizes inestéticas da face em regiões de barba, encontram nessa cirurgia a realização de um sonho que influenciará definitiva e positivamente na sua autoestima, melhorando, em última análise, sua vida em todos os âmbitos da convivência.

Revista Brasileira de Cirurgia Plástica

Artigo Original – Ano 2017 – Volume 32 – Número 3
Carlos Eduardo Guimarães Leão1,2

Leia o artigo na íntegra

PRECISA DE MAIS INFORMAÇÕES?

Preencha o formulário e entraremos em contacto consigo para ajudá-lo com as suas dúvidas.

acqua-formulario