Skip to main content
Osteopatia

Criada nos finais do século XIX pelo Dr. Andrew Taylor Still, Médico Americano que se encontrava insatisfeito pelo rumo da Medicina, àquela época, a Osteopatia é uma Medicina Complementar e uma Terapia Manual com um sistema de diagnóstico e de tratamento para uma larga variedade de condições médicas.

Por assentar nas suas próprias leis, criadas por Dr. Still e num conhecimento profundo da anatomia humana, pode ter intervenção nas mais variadas enfermidades e ser aplicada em toda e qualquer pessoa.

Still considerava que “todos os remédios necessários para a saúde, existem no corpo humano”.

Pode intervir e atuar sobre os mais diversos sistemas:

– Músculo-esquelético;

– Respiratório;

– Cardiovascular;

– Digestivo;

– Reprodutivo;

– Nervoso.

Para um Osteopata, para que o corpo possa funcionar corretamente, a estrutura tem de funcionar corretamente.

Procura identificar e eliminar as restrições do corpo, para que possa funcionar novamente na sua plenitude.

Quando o corpo não tem restrições, ele tem a capacidade inerente de curar a si mesmo.

A função do Osteopata e da Osteopatia é proporcionar ao corpo os meios para que possa reequilibrar-se e auto-curar-se, sem recurso a medicação.

“Osteopatia é o conhecimento da estrutura, relação e função de cada parte do corpo humano aplicado à correção de tudo o que interfere com o seu funcionamento harmonioso.”

A Osteopatia reconhece que um paciente é um todo integrado. Quando todos os componentes do corpo estão em equilíbrio, uma pessoa é completa e na saúde total.

“O tratamento Osteopático é científico na medida em que reconhece a relação entre a causa e o efeito na doença e procura remover a causa, ao invés de tratar os sintomas, os efeitos da doença.” (Orren E. Smith, D.O.)